Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

E AGORA ??

O MUNDO VISTO PELOS MEUS OLHOS

DO 25 ABRIL...DO FUTEBOL... RIO AVE E... GRAÇA MOURA... E SANTO PAULO

por ARMANDO CORREIA, em 28.04.14

Parece-me que do 25 de Abril já não reza a história, as cerimónias protocolares não passam de isso mesmo protocolo, enquanto os capitães de Abril conseguiram chegar ao coração do povo com uma cerimónia de rua, em que não faltou Màrio Soares na sua busca do protagonismo perdido, o que me parece é que o simbolismo da data se está a perder lentamente e não acredito que o meu puto quando for da minha idade ainda se lembre do que foi o 25 de Abril.

 

No futebol confirmou-se a hegemonia do Benfica frente ao Porto este ano, num jogo sem história e penso que pela primeira vez sem confrontos de maior, os portistas renderam-se ao fracasso da sua equipa este ano, e os protestos viram-se agora para dentro do clube, veremos qual será o futuro de Pinto da Costa que mantém o silêncio sobre uma das piores épocas de sempre do clube do Norte.

 

O Fim de semana foi marcado pela perda de um grande ensaista e tradutor, mas essencialmente um Poeta, Graça Moura deixa este mundo mais rico com um espólio de escrita invejável, perde-se um homem fica um legado digno de registo de um interventor activo na sociedade, e no mundo das letras.

 

A época futebolistica fica ainda marcada pelo percurso incansável feito pelo RIO AVE, e digo incansável porque o esforço de uma equipa deste calibre é muito maior para a conquista de determinadas posições no campeonato quando comparado com as equipas de topo, com um orçamento diminuto o clube chega a um lugar de destaque, ainda mais importante quando se fala nos valores passivos do Benfica e do Porto.

 

Por fim, mais uma abertura na igreja, Francisco e Bento XVI juntam-se para canonizar dois Papas. João Paulo II agora santo, demorará concerteza algum tempo a conquistar este estatuto junto do povo que o verá sempre como o PAPA que mudou um pouco o percurso da igreja, penso que essa abertura se reflectiu na união do Papa Emérito Francisco com Bento XVI numa cerimónia cheia de simbolismo da abertura da igreja ao mundo, ao mesmo tempo que reflecte a cada vez maior importância do Papa nos destinos do Mundo, começando a verificar-se que Francisco além de um lider carismático do povo, começa a ser uma peça politica importante nos destinos mundiais e nas decisões estratégicas.